José Lacerda de Araújo Feio

Área de identificação

tipo de entidade

Pessoa

Forma autorizada do nome

José Lacerda de Araújo Feio

Forma(s) paralela(s) de nome

Formas normalizadas do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) do nome

  • Feio

identificadores para entidades coletivas

área de descrição

datas de existência

1912-1973

história

Médico pela Faculdade Nacional de Medicina (1936), bacharel e licenciado em História Natural pela Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil (1940), ingressou no Museu Nacional (MN), na Divisão de Zoologia, como naturalista interino (1941), mais tarde efetivado por concurso (1944) e classificado como zoólogo (1966). Entre as décadas de 1960 e 1970, dedicou-se também a pesquisar a história do Palácio de São Cristóvão e da Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, sede do Museu Nacional, reunindo farto material e referências bibliográficas sobre o tema. Pais: Francisco A. C. de Araújo Feio e Maria José Lacerda de Araújo Feio Esposa: Haydée Costa de Araújo Feio (n. 15/12/1911) Filhos: Ceci (n. 22/12/1944) e José (n. 18/6/1946) As denominações de duas espécies animais derivam de seu nome: Ariamnes feioi Mello Leitão, 1947 (Araneae, Therididae); Eccrotatarus feioi Carvalho, 1953 (Homiptera,Miridae).

Locais

Rio de Janeiro (nascimento e morte)

status legal

funções, ocupações e atividades

Médico, naturalista e zoólogo do Museu Nacional (MN), especialista em aracnídeos (aranhas, escorpiões e pseudoescorpiões), professor e pesquisador. No MN, foi: 1941-1945 substituto eventual do chefe da Divisão de Zoologia João Moojen de Oliveira; 1942-1947 substituto eventual da diretora da instituição; 1946 chefe da Divisão de Zoologia; 1953-1954 responsável pela Divisão de Botânica; 1954-1955 substituto eventual do responsável pela Divisão de Botânica (Fernando Segadas Viana); 1957-1959 substituto eventual do chefe da Divisão de Zoologia (Antenor Leitão de Carvalho); 1958-1959 chefe da Seção de Extensão Cultural; 1958 superintendente dos processos de organização das exposições; 1959-1966? chefe da Seção de Invertebrados; 1967-1971 diretor do MN. Participou diretamente das seguintes exposições: 1950 II Exposição temporária do Museu Nacional – Ilha da Trindade, no Museu Nacional, como integrante da equipe organizadora; 1956 Sala 1 de Zoologia – Introdução à Zoologia, História do microscópio, Protozoários, Cnidários, Ctenóforos e Espongiários, no Museu Nacional, no planejamento, organização e realização; 1956 Exposição temporária sobre o centenário de nascimento de Adolfo Lutz, no Museu Nacional; 1957 Sala 2 de Zoologia – Setor de Protoartrópodes e Aracnídeos, no Museu Nacional, no planejamento, organização e realização; 1958 Sala 3 de Zoologia – Setor de Miriápodes, no Museu Nacional, no planejamento, organização e realização; 1958 I Exposição Pedagógica – Geografia, Ciências etc., realizada na Casa do Professor (?), como membro; 1959 Exposição Comemorativa do Centenário da obra de Darwin, no Museu Nacional, em conjunto com o British Council, no planejamento, organização e realização. Atuou, ainda, como: 93 1944, 1957 examinador de concurso público de provas; 1947 membro do grupo do Conselho Nacional de Geografia para levantamento da região onde seria localizada a capital; 1950 coordenador dos trabalhos de Biogeografia e Ecologia; 1951 membro do grupo do anteprojeto de Código de Caça e Pesca; 1953- ? membro do College d' Experts pour l'Ecologie Animale de la Zone Aride da UNESCO; 1958, 1959- 1961, 1963 vice-presidente da Organização Nacional do Conselho Internacional de Museus – ONICOM; 1959- ? representante do MN no IBECC do Ministério das Relações Exteriores; 1960 coordenador da mesa Arachnida e Biogeografia no I Congresso de Zoologia; 1961 membro do grupo de estudos e normas de combate e profilaxia contra Latrodectus mactans (aranha viúva negra) da Secretaria Geral de Saúde do Estado da Guanabara. Autor de vários trabalhos científicos, como: 1937 Heterogeneidade da Terra. Revista de Educação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 41-42; 1937 Intemperismo, agente geológico. Revista de Educação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, p. 78- 79; 1937 Vento, agente geológico. Revista de Educação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 5, p. 141-142; 1937 História Natural. Magna Vox, v. 1, n. 2, p. 15-20; 1937 História Natural, rudimentos de biologia geral. Magna Vox, v. 1, n. 3, p. 12; 1938 Hipóteses cosmogônicas. Revista Didática e Científica do Colégio Universitário, v. 1, n. 2, p. 33-37; 1938 [Teoria de Wegener das translações continentais: África e América foram alguma vez juntas? Conferência pública 1/12/1938]; 1939 jun. [Aspectos regionais da geologia do estado de Minas Gerais. Palestra preparatória para os alunos do Colégio Universitário]; 1939 Geologia histórica e seus fins. Revista Didática e Científica do Colégio Universitário, v. 2, n. 3, p. 17-19; 1939 Sobre um novo método de fixação pelo tanino para Ctenophoros: súmula da Academia Brasileira de Ciências. Jornal do Comércio, Rio de Janeiro, 20/12/1939; 1941 Sobre um curioso pseudoescorpião Geogarypus (G.) itaparinensis. Papeis Avulsos Dep. Zool. do Estado de São Paulo, n. 1, p. 241-244; 1941 Sinopse de sistemática zoológica. Rio de Janeiro: Tipografia Jornal do Comércio. 171 p. il.; 1941 [Apreciação bibliográfica sobre Sinopse de sistemática zoológica. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro]. 1942 Sobre o apresamento e sucção de algumas espécies de Pachyolpium e Lustrocbernes (Pseudoescorpiones). Boletim do Museu Nacional, N. S, Zool., Rio de Janeiro, n.3, p. 114-120, il.; 1944 Victorwithius monoplacophorus n. gen. n. sp. da subfamília Withiinae Chamberlin, 1931 (Pseudoscorpiones: Cheliferidae). Boletim do Museu Nacional, N.S., Zoologia, Rio de Janeiro, n. 28, p. 1-7. il.; 1945 Novos pseudoescorpiões da região neotropical. Boletim do Museu Nacional, N. S, Zool., Rio de Janeiro, n. 44, p. 1-47; 1945 Geologia histórica e seus fins. Revista do Museu Nacional, Rio de Janeiro, n. 5, p. 17-19; 1946 [Sobre o gênero Pycnochrnes Beier, 1932, com a descrição de P. guarany, sp.n. do Paraguai. In: Livro de homenagem a R.F. d’Almeida, p. 167-176]; 1947 Geologia histórica e seus fins. Boletim Geográfico, v. 5, n. 50, p. 166-168; 1947 [Em 18/12, palestra sobre a zoogeografia e os demais setores da geografia]; 1948 Revisão do trabalho de P. Dansereau: a distribuição e estrutura de um trabalho biogeográfico. Revista Brasileira de Geografia, v. 12, n. 3, p. 445-470; 1948 ______, LEITÃO, Cândido Firmino de Melo. Notas sobre pequena coleção de aracnídeos do Peru. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, n. 10, p. 313-324. il.; 1949 [Apostilas do curso de Didática Especial de História Natural. Faculdade Nacional de Filosofia]; 1949 Aranhas da Foz do Koluene (desenhos dos sp. científicos). Boletim do Museu Nacional, n.s., Zoologia, Rio de Janeiro, n. 92, p. 1-35; 1949 [O primeiro trabalho sobre zoogeografia publicado no Brasil. In: REUNIÃO SULAMERICANA DE CONSULTA SOBRE GEOGRAFIA, 1: 1949. Anais.]; 1950? [Os pseudoescorpiões. Revista do Museu Nacional, Rio de Janeiro, .., n. p....]; 1950 [Informe fornecido a C. Hoff sobre pseudoescorpiões. Arthropoda, v. 12, n. 4, p. ...] 1950 ________, CARVALHO, José Cândido de Melo. Sobre alguns gordiáceos do Brasil e da República Argentina (Nematomorpha, Gordioidea). Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 22, n. 2, p. 193-206; 1950 [Relatório de viagem à Ilha da Trindade: Expedição João Alberto. Rio de Janeiro: Museu Nacional. p. (datilografado)]; 94 1950 A Biogeografia e os outros setores da geografia: as etapas de um trabalho biogeográfico. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, p. 445-470. il.; 1951 A Ilha da Trindade. O Jornal, Rio de Janeiro, 7/8/1951; 1951 [A biologia nos tempos modernos. Palestra proferida na Radio Ministério da Educação em 8/6/1951]; 1951 Melo Leitão e a Geografia. Boletim Geográfico, v. 14, n. 97, p. 59-60. [Reeditado em Fauna, v. 16, n. 8, p. 17-19]; 1951? [Fauna do Brasil. Rio de Jameiro: IBECC.] 1952 [Conceito biológico de espécie e raça. Palestras para o Departamento de Antropologia da Faculdade de Ciências Sociais] 1952 Uma curiosa magalomorfa arborícola Paracenobiopalma – gerecormophila, gn.n., sp.n (Aranae, Barychelidade). Boletim do Museu Nacional, N.S., Zoologia, Rio de Janeiro, n. 113, p. 1-23. il.; 1953 Contribuição ao conhecimento da história da zoogeografia do Brasil. Publicações Avulsas do Museu Nacional, Rio de Janeiro, n. 12, p. 1-22; 1953 [Primeiro trabalho sobre zoogeografia publicado no Brasil. In: REUNIÃO SULAMERICANA DE GEOGRAFIA, 1: 1949. Anais]; 1953 [Contribuição ao conhecimento da história da zoogeografia do Brasil (1500-1550). In: REUNIÃO PAN-AMERICANA DE GEOGRAFIA, 1: 1949. Anais] 1955 [Contribuição à conceituação de biogeografia.Tese para o concurso de livre-docência. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras. Universidade do Distrito Federal (dat.)]; 1956 [Razões que justificam a técnica empregada na exposição de protozoa, poríferas e cnidário do Museu Nacional. In: CONGRESSO NACIONAL DE MUSEUS, 1. Anais.]; 1956 [Questionários sobre museus: sua apresentação lúdica, seus níveis e objetivos. In: CONGRESSO NACIONAL DE MUSEUS, 1. Anais]; 1958 [Conferência História do Museu da Ciência e a Museologia, no salão nobre da Faculdade de Filosofia da Universidade de Minas Gerais, em Belo Horizonte, dia 26 de agosto]; 1958 Vamos conhecer a natureza. Revista Escola Secundária, n. 6, p. 86-89; 1959 Apresentação das exposições de invertebrados do Museu Nacional. In: CONGRESSO NACIONAL DE MUSEUS, 2. São Paulo]; 1959 Les salles des invertebrés aux Museu Nacional. Museum, Paris, v.12, n.4, p. 229-240; 1959 [Técnica museológica e museográfica. In: CONGRESSO NACIONAL DE MUSEUS, 2. São Paulo]; 1959 [________. LEONTISINIS, Sólon. Uma observação sobre visitantes de exposição de museu de ciência. In: CONGRESSO NACIONAL DE MUSEUS, 2. São Paulo]; 1959 Consideraciones sobre Chernetinae com la descripcion de Maxchernes birabeni generoy especienuevos (Arácnida, Pseudoscorpiones). Neotropica, v. 5, n. 18, p. 71-82; 1960 O Museu Nacional e o doutor Emílio Joaquim da Silva Maia. Publicações Avulsas do Museu Nacional, Rio de Janeiro, n. 35, 31p. 1960 [Museus escolares. In: CONGRESSO DE PROFESSORES DE ENSINO MÉDIO,1. Anais.]; 1960 Contribuição ao conceito de biogeografia. Publicações Avulsas Museu Nacional, Rio de Janeiro, n. 36, p. 1-21; 1960 [Contribuição ao inventário crítico da zoologia no Brasil (1500-1960): Pseudoescorpiões. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOLOGIA, 1. Rio de Janeiro.] 1961 FAUNA BRASILEIRA. In: Enciclopédia Delta Larousse. p. 6801-6810; 1961 FAUNA BRASILEIRA. In: Enciclopédia Delta Larousse. 2. ed., p....]; 1961 [De 16 a 22/10, participou do II Congresso Brasileiro de Zoologia, realizado em Porto Alegre, RS, na Faculdade de Filosofia da Universidade do Rio Grande do Sul]; 1961 ago. O problema de Latrodectus mactans. In: CICLO DE PALESTRAS DO MUSEU NACIONAL. 1961 [Conceitos e objetivos da zoogeografia. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOLOGIA, 2. Porto Alegre.] 1961 [O problema do recrudecimento de população de Latrodectus mactans nas proximidades do Rio de Janeiro. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOLOGIA, 2. Porto Alegre.] 1961 Como agir contra as viúvas negras. Tribuna da Imprensa, 11/8/1961

Mandatos/Fontes de autoridade

1941 Decreto de 9/9/1941, designado naturalista interino do quadro permanente do Ministério da Educação e Saúde; 1941 Portaria MN n. 15, de 5/11/1941, designado substituto eventual do chefe da Divisão de Zoologia; 1942 Portaria MES n. 75, de 23/3/1942, designado para serviços de tratamento e revisão de coleções zoológicas; 1946 Portaria MN n. 16, de 27/6/1946, designado para a função de chefe da Divisão de Zoologia; 1946 Portaria MN n. 40, de 11/10/1946, tornada sem efeito Portaria MN n. 16, de 27/6/1946; 1947 Portaria MN n. 38, de 15/5/1947, elogiado pelo excepcional zelo e especial dedicação revelados no preparo das exposições de antropologia inauguradas em 13/4/1947; 1947 Portaria MN n. 83, de 24/11/1947, designado para representar o MN na III Assembléia Geral da Associação dos Geógrafos Brasileiros, realizada em 30/11/1947; 1949 Portaria MN n. 32, de 27/6/1949, designado para integrar a Comissão de Publicações; 1950 Portaria MN n. 1, de 6/1/1950, designado pra representar o MN na V Assembléia Geral da Associação dos Geógrafos Brasileiros realizada em Belo Horizonte, na segunda quinzena do mês de janeiro de 1950; 1950 Portaria MN n. 38, de 2/10/1950, designado para, sem prejuízo dos seus encargos na Divisão de Zoologia, colaborar nos trabalhos do Serviço de Biogeografia e Ecologia(?), cabendo-lhe a coordenação dos trabalhos, publicada no Boletim de Pessoal n. 133, de 10/11/1950, p. 1.884; 1951 Portaria MN n. 2, de 5/1/1951, designado para representar o MN na 2a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Botânica, realizada de 8 a 16 de janeiro de 1951; 1954 Portaria MN n. 3, de 12/3/1954, designado para substituto eventual do responsável pela Divisão de Botânica (Fernando Segadas Vianna); 1955 Portaria MN n. 28, de 30/6/1955, dispensado da substituição eventual do responsável pela Divisão de Botânica; 1956 Portaria MN n. 6, de 25/1/1956, elogiado pela dedicação e zelo na organiza;cão e apresentação da 1a Sala de Zoologia inaugurada em 10 de janeiro de 1956, publicada no Boletim de Pessoal n. 6, de 8/2/1956; 1956 Ofício MN n. 659, de 16/10/1956 ao presidente do ICOM, escolhido por unanimidade pela Congregação do MN como representante do MN na Comissão Nacional do ICOM 1957 Portaria MN n. 19, de 22/5/1957, designado substituto eventual da chefia da Divisão de Zoologia (Antenor Leitão de Carvalho), publicada no Boletim de Pessoal n. 23, de 24/3/1958; 1957 Portaria MN n. 24, de 6/6/1957, elogiado pela dedicação e zelo na organização e apresentação das exposições de zoologia – sala 2, publicada no Boletim de Pessoal n. 58, de 29/7/1957; 1958 Portaria MN n. 26, de 10/6/1958, elogiado pelos serviços prestados na organização e execução das novas exposições de zoologia; 1958 Portaria MN n. 53, de 31/10/1958, designado para a chefia da Seção de Extensão Cultural do MN no lugar de Newton Dias dos Santos, publicada no Boletim de Pessoal n. 90, de 31/11/1958; 1958 Portaria MN n. 58, de 18/11/1958, dispensado da substituição eventual da chefia da Divisão de Zoologia; 1959 Portaria MN n. 7, de 18/11/1959, dispensado da chefia da Seção de Extensão Cultural do MN; 1965 Ofício MN n. 206, de 17/3/1965, eleito pela Congregação para representante do colegiado junto ao Conselho Universitário, substituindo Paulo de Miranda Ribeiro; 1966 Decreto n. 58.741, de 28/6/1966, classificado como zoólogo a partir de 1/6/1964, publicado no D. O. U. de 11/7/1966

Estruturas internas/genealogia

contexto geral

Área de relacionamento

Área de controle

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estado

Nível de detalhe

Datas de criação, revisão e eliminação

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Notas de manutenção